Doutrina de Obediência a Deus

Se estudarmos atentamente os 4 evangelhos, os Atos e as Epístolas dos Apóstolos, e o Apocalipse de São João, encontraremos que, no fundo, a essência da santa Doutrina de Nosso Senhor Jesus Cristo consiste na obediência em pensamento que devemos ter à Vontade de Deus.
Esta obediência constitui um estado de consciência que os apóstolos chamaram: “Cristo em Nós”. Assim, pois, Cristo não é um homem, Cristo é um superior estado de consciência que nos liga, que nos unifica a Deus.


Para se compreender este estado de consciência completamente indispensável para a salvação de nossas almas, temos em primeiro lugar que adquiri-lo mediante a prática, sem a prática desta maravilhosa Doutrina jamais poderíamos abranger a sua divina beleza, e, muito menos, obter seus incalculáveis benefícios.


Mas, antes de praticar a Grande Doutrinam devemos inicialmente, conhecer as bases sobre as quais se sustenta, já que não deveremos entregarmos a nenhuma prática espiritual , sem conhecer os fundamentos, sem pesar, sem meditar naquilo que vamos fazer, do contrário, poderíamos ir a um fracasso, porque com qualquer sofisma, com uma mentira qualquer, em suma, com qualquer ardite ou engano, poderíamos abandonar a Doutrina Eterna, pois o mundo, pensando compreender, segundo as tantas fés que abundam, a verdadeira Doutrina do Cristianismo nos arrebataria o único médio da nossa verdadeira salvação. Daí, que é necessária uma boa compreensão da Doutrina de Obediência a Deus, antes de pôr em prática os seus postulados; por que, quando chegamos a ter uma completa inteligência do que chamou São Paulo: “O mistério de Cristo”, então, nada nem ninguém poderiam arrebatar-nos tão grande tesouro.


Antes de entrar em cheio na Doutrina do Senhor, haveremos de conhecer algo siquer do que falaram os Profetas ao seu respeito, isto se torna necessáriom pois ajuda à compreender a verdadeira Doutrina do Salvador do mundo.

Profecias ao respeito da Doutrina do Messias


Nosso Senhor Jesus Cristo, anunciaram os Profetas, que “virá ao mundo na semelhança de homem de pecado”. Agora, bem, como se compreenderá pelos fundamentos que vou espôr, baseando-me na mesma Escritura Santa, o seu pecado consiste na desobediência do homem ao seu Criador.


Para esclarecimento deste assunto, tomarei as palavras contidas no cap. vers ...: “Assim como pela desobediência de um só homem, o pecado entrou no mundo, e pelo pecado a morte, posto que todos pecaram; assim também pela obediência de um só os muitos serão salvos”.


Por Adão todos somos livres, acreditamos conforme a tradição, e assim cremos, que nós somos livres, que Deus nos deu liberdade de afir, de pensar, o que se denimina “Livre Arbítrio”, sendo, portanto responsáveis por todos os nossos atos; livres de escolher o caminho do Bem ou o caminho do Mal; porém, que reconheçamos que jamais poderíamos ser livres de Deus em forma absoluta, pois se assim fosse, negaríamos a existência daquele Ser , a quem temos que atribuir três atributos, Onisciência, onipotência e onipresença, e como resultado destas Potências Infinitas, a Justiça Infalível. Pois, bem, este estado de consciência, em que o homem se acredita “livre”, é o que o Evangelho denomina “Lei de Liberdade” dentro da qual não alcançamos a salvação das nossas almas, como consta no cap. vers. “Dentro da Lei de liberdade ninguém se salva”.


Jesus, pois, nasceu dentro da “Lei de Liberdade”, julgando-se, também, livre, conforme a tradição do mundo, até que chegado, na sua meninice o dom de ver e ouvir, em conformidade com a profecia de Isaías cap. vers. “Na sua mocidade serão abertos seu ouvido e visão espirituais”, o Pai se lhe manifestou e ensinou a sua Doutrina de Salvação, fazendo-lhe conhecer o mistério da Sua Vontade, desconhecido até então no mundo. Foi, Nosso Senhor Jesus Cristo o primeiro em conhecer a Lei de Obediência e o primeiro em praticá-la, fato que foi profetizado por Isaías cap. vers. Declarando as palavras que o Senhor Jesus exclamaria: “O fazer a tua vontade, ó Deus meu, tem agradado minha alma, retira o primeiro para reestabelecer o postreiro”, acrescentando, como ele rogaria ao Pai que lhe perdoasse as suas rebeliões e se as retirasse, cap. vers.


Conhecedor do mistério do qual se refere o Apóstolo São Paulo cap. vers.: “Revelando-nos o mistério da vontade de Deus, oculto desde o princípio  dos séculos em Deus que creou todas as cousas e jamais descoberto aos homens”. Jesus, o Cristo”, ungido, pela obediência, desde o instante que ele a conheceu, recebeu o Espírito Santo, crescendo Deus com a Sua Sabedoria nele, a medida que ele ia conhecendo a obediência, como deveria ser praticada, é dizer, dentro dos Mandamentos e Estatutos do Pai, o que fica demonstrado com as seguintes palavras, cap. vers. “E à medida que o menino crescia, crescia nele o Espírito Santo e crescia em graça do Senhor”. Pela tradição bada se sabe com certeza, desde a aparição do menino Jesus, discutindo com doutores da Lei no templo em Jerusalém, até que cumpriu os trinta anos, idade na qual começou sua vida pública, ensinando a Santa Doutrina que recebeu do Pai. Se presume que durante, todo esse tempo se dedicasse a ajudar ao seu pai putativo, São José, as suas pesadas tarefas de carpinteiro daquele tempo, mas o mais justo, é que durante todo esse tempo, uns dezoito anos, Jesus dedicara grande parte do seu tempo em escutar e meditar,a na Doutrina que ia recebendo do Pai, em harmonia com a profecia de Isaías: “Na tua lei medito noite e dia”, preparando-se profunda e sapientissimamente para ensinar no mundo o caminho de salvação único, a santa lei de obediência, com justíssima razão chamada a Lei de Deus, a Lei de Cristo, a lei da eterna salvação.


Então, se o mundo desconhece a Suprema Lei, jamais pode ter a sua salvação. A ignorância não salva a ninguém. A fé, fora da verdade, é um engano, é inútil: “Adoram-me, porém, em vão, seguindo doutrinas dos homens ou de espíritos” (Cap. vers.)


Se humanamente ninguém pode há sejam naturais ou políticas salvar-se das leis, atribuindo ignorá-las, pode ser aceitado, que poderá ter sua salvação, pela ignorância nas Leis espirituais Eternas do Senhor. Se para este fim enviou a Seu Filho ao mundo?


A humanidade, no sentido religioso, está muito longe de compreender o Evangelho verdadeiro do Senhor, pois já tantos e tão diferentes crenças, equivalentes a um numero igual de fés. E todas proclamam, ou melhor dito, seus pregadores e respectivos adeptos que a verdadeira é a que cada um deles professa, não se dando conta, que o que o que realizam é mesmo o cumprimento das profecias... Existe uma só é, um só batismo, por um é o Cristo, um só é o Pai Universal das nossas, Atos, cap. vers.


No cap. ver. De ... Está escrito> “Por Jeovah são ordenados os passos do homem e aprouva o seu caminho”, referindo-se ao nosso Senhor Jesus Cristo, pois nosso Senhor foi dirigido diretamente pelo Pai, com o qual entrou em comunhão pela Obediência.


Com estes antecedentes, vejamos, agora, se existe outro caminho para nossa salvação a não ser a santa doutrina de obediência, que nosso Senhor Jesus Cristo nos ensinou com a palavra e com o seu exemplo.
No cap. vers. Nos disse: “Quem queira alcançar a vida eterna, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me”, portanto, se não o seguimos, com mais clareza, se não lhe imitamos não poderemos alcançar a vida eterna.


Agora, pergunto a todos os eruditos, a quantos tem lido  os Evangelhos, onde consta que os que se acreditam livres se salvarão? Onde está esse ensino que todas as religiões ou seitas que pregam por toda parte asseverando a liberdade do homem, é dizer ficam dentro da lei de liberdade dentro da qual ninguém se salva, estarão sujeitos a julgamento: “Os livres serão julgados segundo suas obras”, por tanto para eles não há salvação. Precisam os homens entrar na santa lei de obediência para ser salvos. E, esta Lei, só se faz compreensível quando se despide dos preconceitos, desse cúmulo de falsas interpretações que o dominam, ficando auto sugestionados com os princípios duma Ciência humana, que se chama Teologia, a na qual nada se sabe de Deus, pois, como toda pessoa mediantemente culta conhece, esse é o ponto mais fraco de todos os sacerdotes de todas as seitas.


Principiemos, consequentemente, por ler sem pôr-se obstáculos, procurando compreender, atnees que negar, pelas sugestões recebidas desde faz séculos; somente desta forma, se poderá aquilatar o valor da verdadeira Doutrina, a qual deveremos conhecer, pois nela se basea a nossa salvação eterna, muito mas, que as profecias nos anunciam muito anteladamente, como é que se verificaria uma completa deturpação da Doutrina do Senhor, como também, o mesmo Senhor Jesus Cristo nos antecipou todas as cousas que teriam que suceder, esclarecendo-se o mistério da substituição da verdade pelo erro, com estas palavas: ...
Existem, tantas profecias ao respeito que quem queira saber todos os detalhes pode ler o Novo Testamento, onde encontrará infinidade de versículos que tratam do assunto em forma insofismável.

Conferência
 

(51) 9 9768-6024

©2020 por Sociedade de Filosofia Transcendental. Orgulhosamente criado com Wix.com