A Consciência do Cristo em nós

Todos nós que aceitamos a Obediência à Vontade do Pai, Deus Todo Poderoso, alcançamos o Espírito Santo (a Consciência do Cristo), pois assim pensou o Senhor em Jesus, quando se deu nEle o Seu Espírito de Verdade.

Nós precisamos não somente aceitar mas praticar conforme praticou Nosso Senhor Jesus Cristo, "fazendo-se obediente ao Pai até a morte, e morte de cruz".

À medida em que nós praticamos, internamente, a Obediência ao Pai, vai se desenvolvendo, cada vez com mais Sabedoria, a Consciência do Cristo em nós; recebemos, gradativamente, o Discernimento do Cristo, para compreendermos cada vez em maior grau o Seu Evangelho da Obediência à Vontade do Pai, dentro dos Seus Mandamentos e Estatutos.

 

À medida em que cresce em nós o Espírito do Cristo, vai crescendo, também, em nós, a CONSCIÊNCIA DO PAI; pois Ele disse: "Eu e o Pai viremos e faremos nele morada" (em quem obedece ao Pai, segundo a Sua Doutrina).

 

 

O NASCIMENTO DO CRISTO EM NÓS

 

O Cristo nasce em nós desde a primeira vez que, tendo conhecido a Doutrina da Obediência, acreditamos nela; é como o embrião que, depois de certo tempo de gestação (estado no qual passamos por dúvidas e desconfianças devido a estarmos tanto tempo na credulidade da nossa liberdade, a nossa mente, habituada a pensar nesse sentido, não pode ser transformada completamente no seu modo de meditar, que tem tido em inúmeras encarnações passadas), chega o seu tempo de nascimento; identicamente, nasce o Senhor em nós.

Mas o nascimento do Cristo em nós, que é o nascimento do Espírito Santo em nós, efetua-se quase sem compreendermos o Seu nascimento, em conformidade com os ensinamentos dos Apóstolos: "Todo aquele que é nascido do Espírito Santo, é como o vento, que ninguém sabe de onde vem nem para onde vai". Mas, à medida em que se desenvolve em nós o Cristo, sentimos manifestações da sua Divina Presença (manifestações de Luz espiritual, visão e audição, como também diversas outras manifestações em nosso corpo físico e igualmente em nossa mente), compreendemos melhor a Doutrina da Obediência ao Pai Celestial.

O alimento do Cristo em nós é a Obediência ao Pai dentro dos Seus Mandamentos e Estatutos. Aquele que se esquece de alimentar o Cristo em nós, deixando de praticar a Obediência, corre o perigo de voltar à Lei de Liberdade, perdendo o que ganhou espiritualmente; por isto, todos os dias devemos nos lembrar da Obediência, base da justificação dos nossos atos passados quando estávamos na Lei de Liberdade.

Devemos nos esforçar no trabalho espiritual da Obediência, como se fôssemos livres, "não que sejamos livres, mas como servos do Cristo (do Pai), fazendo de (coração) ânimo a Vontade (do Pai) de Deus".

Devemos aprender muito bem, de memória, os Dez Mandamentos, para tê-los presentes em todo o momento, rogando ao Pai, pela Sua Vontade, que possamos cumpri-los; para Ele nada há impossível.

Se alguém cai, não deve desalentar-se; rogando ao Pai, pela Sua Vontade, invocando a Cristo, "Ele que foi tentado é poderoso para salvar os que são tentados".

Se desejamos progredir rapidamente em Cristo, procuremos interessar-nos pela salvação dos demais, que estão na Lei do Pecado, da Desobediência; então, teremos mais auxílio do Altíssimo; cooperemos em todo sentido para a difusão da Santa Doutrina.

(*) Rio Grande, 18 de julho de 1939.

 

 

Mensagem alusiva ao 2º Aniversário da Sociedade de Filosofia Transcendental

 

Mensagem para ser lida a 17 de agosto no 2° Aniversário da Fundação da Sociedade

 

Caríssimos irmãos,

 

QUE A PAZ E A SABEDORIA DO SENHOR JESUS O CRISTO SEJAM COM TODOS VÓS! AMÉM.

 

Do Rio de Janeiro a cidade maravilhosa pelas suas belezas naturais, onde a Doutrina do Salvador principia a embalsamar o ambiente espiritual, vos envio estas ideias que, descidas do Grande Produtor do Pensamento Cristão, virão a regozijar-vos na Comunhão Santa que, pela Obediência a Deus, nos unifica à Verdade Eterna!

Relembremos hoje, entusiasticamente a colocação da primeira pedra angular do edifício da Igreja Cristã Primitiva em Porto Alegre, dessa rocha que é o Cristo em nossos corações, que nasceu à Luz da Razão Divina, do Discernimento Superior; que teve Ele o seu nascimento em nossas almas com o advento do Espírito Santo, que recebemos os que damos crédito à Verdade e somos justos para com Deus, porque reconhecemos a Sua Onipotência, principalmente sobre todos nós!

Ele, pois, que nos mais evoluídos em Cristo faz todas as coisas com a Sua Sabedoria, vos envia Sua Celestial benção nesta magna data em que com gozo inefável celebramos a fundação da nossa fraternidade cristã, com o nome de Sociedade de Filosofia Transcendental!

Que é o tempo? Que é o espaço? Meras concepções da mente física, do mundo dos sentidos, e portanto, fora do Absoluto, o Estável, se relembramos as doces e sapientíssimas palavras do Senhor da Luz na boca dos Apóstolos: Nós não vivemos em nossos corpos, nós moramos e nos movemos no Espírito. Somos habitantes dos Céus! Para este fim caminhamos todos pela prática oculta do Evangelho da Obediência à Vontade de Deus, dentro dos Seus Santos Mandamentos e Estatutos!

Ausente com o corpo, mas presente no Espírito em vossas reuniões, na Corrente que converge para a Unificação com Cristo, façamos ações de graças ao Ser Onipotente, neste dia que para o mundo inteiro terá repercussão no futuro, à medida que a Doutrina da Obediência abra passo ressuscitando a milhares e milhares de mortos permanecentes ainda na Lei de Liberdade!

Caríssimos irmãos dos Ramos São Paulo e São João Batista (1):

Junto todo o esforço do meu espírito para expressar-vos a minha alegria pelo vosso progresso espiritual no Senhor de Glória, no Qual rogo ao Deus de Misericórdia prossiga em todos vós, com o maior entusiasmo e perseverança, o ideal infinitamente sublime de pregar o Santíssimo Evangelho da Obediência à Vontade Divina!

Todos vós que vivem no meu coração crístico, recebam mais uma vez as minhas congratulações e palavras de conforto espiritual, para alimentar incessantemente a sagrada fogueira do vosso amor fraternal, base fundamental da nossa instituição, em benefício comum de todos nós, participantes da comunhão do Espírito da Verdade!

Felicito-vos carinhosa e fraternalmente com as minhas saudades em Cristo Nosso Senhor e Pai Nosso, relembrando o dia em que nos juntamos para servir internamente, de coração puro, ao Único Deus de Amor, da Paz, da Sabedoria! Neste dia de lembranças saudosas em Cristo, em que Ele em nós empreendeu a grande tarefa da salvação das almas, iniciada em Porto Alegre!

Vós, os dirigentes de ambos os Ramos, aceitai, com todos os nossos amigos e irmãos espirituais, o ósculo santo que vos envio, cheio de júbilo e dando graças a Deus de que Ele cresça cada vez mais e mais em vossas almas, e aumente, com o crescimento dEle em vós, ao mesmo tempo, o número dos irmãos que vêm participar conosco da Santa Ceia do Senhor: a Obediência à Vontade do Pai para justificação das nossas consciências!

Comungando, eu mais que ninguém da vossa alegria em Cristo, vos abraço amigável e fraternalmente com o Amor inextinguível do Cristo, que mora pela Fé nos que procuramos seguir as Suas salvadoras pegadas!

Glória a Deus nas Alturas e Paz na terra aos homens de Boa Vontade!

(1) Os Ramos São Paulo e São João Batista foram os dois primeiros Ramos fundados da Sociedade de Filosofia Transcendental, pelo Professor Julio Ugarte y Ugarte, em 1937.

(*) Do Rio de Janeiro, onde se encontrava difundindo a Doutrina da Obediência a Deus, o Professor Ugarte enviou esta mensagem, para ser lida no 2° Aniversário da Fundação da Sociedade, a mensagem tinha data  de 10 de agosto de 1939.

(51) 9 9768-6024

©2020 por Sociedade de Filosofia Transcendental. Orgulhosamente criado com Wix.com